Por que não tomar um chá da tarde ou um brunch no hotel de seus sonhos?

Se você é do tipo que economiza mesmo em suas andanças pelo mundo, isso não quer dizer que sua viagem tenha que ser um perrengue sem fim, com refeições feitas andando a caminho das atrações e infinitas bolhas nos pés para não gastar com transporte.

Começar e terminar bem a viagem contribui para que ela flua de maneira mais organizada e deixe o máximo possível de boas lembranças – sem que isso mine seu orçamento apertado.

Se seu vôo vai chegar muito cedo ao destino final, você pode reservar o quarto do hotel a partir da noite anterior, para que possa se instalar assim que cruzar as portas do estabelecimento, tornando um bom banho para se recompor (lembre-se de que, na Europa, no Canadá e nos Escudos Unidos, as diárias em geral começam às quinze horas).

Se o trajeto em transporte público até o hotel for muito complexo (cheio de baldeações, por exemplo) e cansativo, não comprometa o aproveitamento dos primeiros dias da viagem por esse estresse – invista um pouco mais num transporte do tipo shuttle ou até mesmo num táxi e tenha a garantia de chegar ao hotel com mais disposição e menos irritação, prontinho para começar o passeio.

Se seu orçamento só permite se hospedar num hotelzinho honesto, mas você sonha com os salões do Ritz, por que não tomar um chá da tarde ou um brunch no hotel de seus sonhos e sentir toda a atmosfera do local? Tomar um chá da tarde ou brunch em hotelzões como o Alvear Palace, em Buenos Aires, ou o Crillon, em Paris, são excelentes formas de aproveitar a boa gastronomia em um ambiente refinado por valores mais acessíveis. Um drinque no bar mais charmoso de um hotel estrelado também vale pela experiência.

Deixe uma resposta