Resista à tentação de parar em todas as cidades que atravessarem seu caminho.

Viajante sem mesmo uma sede insaciável de conhecer destinos, como se eles fossem mudar de lugar nos próximos anos. Mas para viajar é preciso ter foco. Conhecer um lugar não é simplesmente visitá-lo por algumas horas. Estabeleça metas e prioridades ao escolher os destinos envolvidos, de forma que você possa aproveitar de fato cada parada.

Deixe pelo menos quatro dias inteiros disponíveis para conhecer cada grande capital. Com menos tempo que isso, você não consegue conhecer e aproveitar a cidade suficientemente – fica só peregrinando entre as atrações apressadamente e perde o melhor de cada uma. Vez ou outra abra exceções para passeios bate e volta (saia de manhãzinha e volte à noite) para cidades pequenas e vilarejos nas imediações das capitais.

Não compre sua passagem internacional antes de finalizar todo o etinerário. Você pode economizar (e muito) com isso. Apesar do excelente advento das companhias aéreas low-cost, comprando tudo de uma mesma companhia, os trechos internos (dentro do mesmo país ou continente, no caso da Europa e de parte da Ásia) acabam saindo
quase de graça, e você conta com a segurança de ser embarcado num próximo voo da companhia caso perca sua conexão por mau tempo ou atrasos similares.

Vale lembrar que muitas companhias aplicam multas pesadas para alterações e reemissões de bilhetes. Por isso, quanto mais seguro sobre seu roteiro você estiver na hora de
comprar a passagem, melhor para o seu bolso. Use e abuse da Internet – nada no mundo é tão fundamental para o viajante quanto a rede. Lá você simula e compara preços antes de embarcar, faz reservas com preços promocionais e confere opiniões de outros viajantes sobre locais que quer visitar ou onde pretende se hospedar.

Não reserve automóvel antes de definir seu roteiro; aluguel de carro só faz sentido em viagens pelo interior dos países. Dirigir um carro nas grandes capitais pode se tornar um verdadeiro pesadelo, assim como achar lugar para estacionar nessas cidades costuma ser tarefa difícil e, muitas vezes, bem cara. Lembre-se sempre da máxima “Quanto antes, meIhor”: quem reserva antes geralmente sai ganhando nos preços de passagens e hotéis. Alguns museus e, atrações também dão vantagens para quem compra ingresso antecipado.

O melhor dos lugares pode estar nos detalhes, na sinestesia. Nem só dos monumentos mais famosos vivem os grandes destinos turísticos do mundo. Você pode ter belíssimas surpresas ao visitar lugares que nem estavam no guia. Não basta simplesmente ver a cidade, mas sentir, cheirar, roçar, ouvir, experimentá-la.

Não tenha pressa, porque para aproveitar bem cada viagem é preciso tempo. Reduza o número de locais a ser visitados se for preciso, mas certifique sempre de que haverá tempo de sobra para imprevistos, para se perder propositada ou despropositadamente e para se sentar num café e simplesmente ver a vida passar, descansando as pernas de tantos passeios. Aliás, descansar entre os passeios é importantíssimo, afinal ninguém quer voltar da viagem precisando urgentemente de novas férias para repor as energias.

Informe-se sobre as companhias aéreas low-cost que podem fazer parte de sua rota. Dependendo da antecedência na compra da passagem e do período do ano, é possível – acredite – encontrar até passagens gratuitas, sendo necessário pagar apenas as taxas de embarque (mas fique atento às informações de peso da bagagem e às sobretaxas cobradas por muitas dessas companhias – tem low-cost que cobra até pelo uso do banheiro).

Colha relatos de outros viajantes. Na escolha de um hotel, por exemplo, é fundamental conhecer a opinião de quem já esteve lá, seja um amigo, o agente de viagens ou alguém que deixou um depoimento em um site de referência, como o Trip Advisor. Blogueiros também costumam registrar opiniões interessantes e detalhadas, muitas vezes com fotos, sobre os quartos e as instalações dos quais usufruíram em suas viagens.

Deixe uma resposta