Vai viajar? Saiba qual é melhor transporte para sua viagem

Transporte é um item fundamental em qualquer viagem – sem ele você não chega aonde quer e ponto final. Não estou falando aqui só do transporte até o destino principal, mas também do processo de escolha do melhor meio de locomoções entre os destinos visitados e dentro das cidades que você vai conhecer.

O transporte ideal é aquele que representa a interseção perfeita entre tempo, dinheiro e conforto e essa medida varia imensamente de destino a destino e de viajante a viajante, sofrendo também interferência de fatores como as estações do ano. Por isso, vale a pena pesquisar bastante – e antecipadamente – as melhores opções de transporte em cada destino que você pretende conhecer.

Acompanhe o raciocínio:

Avião é melhor quando você se decidiu por uma grande viagem, que vai atravessar um oceano ou um continente inteiro ou fazer trajetos muito longos, que inviabilizam o transporte terrestre. Para distâncias muito grandes, o avião costuma ser a melhor opção, sobretudo pela questão tempo-benefício – até mesmo quando não é, necessariamente, a mais em coma. Mas as companhias aéreas low-cost estão cada vez mais disseminadas, em tudo quanto é canto.

Ainda assim, aqueles que vão percorrer diferentes trechos na mesma viagem têm como melhor opção incluir os trechos internos na própria passagem intercontinental desde o Brasil. Com certeza seu agente de viagens vai encontrar boas tarifas com a mesma companhia aérea que vai levar você desde o Brasil ou com alguma companhia parceira, da mesma aliança – em muitos casos, esses trechos internos saem quase de graça.

Para garantir, antes de emitir sua passagem, comece sempre sua pesquisa pêlos sites Skyscanner ou Kayak. Ambos são ferramentas completíssimas, que listam todas as companhias que fazem o trecho pretendido, com horários e preços, sempre da mais barata para a mais cara – perfeito para encontrar pechinchas.

Na hora de reservar seu vôo, considere também as diferenças entre as classes dentro do avião: econômica (a mais barata e com serviço mais simples, sem grandes luxos), executiva ou business (que em geral custa o triplo da econômica, tem refeições melhores e mais conforto) e primeira ou first (que costuma ter preços equivalentes a dez vezes o da passagem econômica e prevê luxo no atendimento, na alimentação – incluindo em muitos casos caviar e champanhe – e muito conforto, com poltronas totalmente reclináveis).

Trem é melhor quando as viagens têm distâncias curtas e você procura um meio prático de atravessar as cidades. Diferentemente das opções aéreas (sobretudo nas companhias low-cost, que costumam operar em aeroportos bem afastados do centro das grandes capitais), viajando de trem você sempre parte e chega pelo centro da cidade, com a vantagem extra de não ter que se preocupar com franquia de bagagem nem com deslocamentos em esteiras, raios X ou possíveis atrasos no vôo e nas conexões.

E ninguém precisa se com duas ou três horas de antecedência numa viagem de trem – você pode chegar quinze minutos antes e embarcar numa boa. Mas uma viagem longa de trem pode se tornar um martírio, especialmente se for noturna – a não ser que você seja um ás na arte de dormir em veículos em movimento, esse tipo de viagem è praticamente uma receita para chegar ao próximo destino exausto e com dor nas costas e no pescoço.

Carro é melhor quando seu estilo é descompromissado e você quer ter a liberdade de fazer muitas paradas ou mudar o itinerário quando bem entender. Hoje, com o advento dos aparelhos de GPS, que possibilitam até ao mais desorientado dos mortais chegar facilmente ao destino programado, viajar de carro em estradas nunca dantes rodadas ficou prático e acessível. Ainda assim, alugar um carro, especialmente se quiser retirar em um país e devolver cm outro, pode sair bem caro.

Deixe uma resposta